Música ajuda ou atrapalha os estudos? Descubra de uma vez por todas

Quando se trata da hora de estudar, muitas pessoas imediatamente preferem ambientes silenciosos para garantir uma melhor concentração. Outros, por sua vez, dizem que são adeptos de ouvir melodias durante esse momento, pois assim assimilam a matéria com mais facilidade. Em meio a essa dualidade, fica a dúvida: afinal, música ajuda ou atrapalha os estudos?

Se você quer descobrir a resposta, acompanhe este artigo até o fim, pois vou explicar tudo o que você precisa saber a respeito do tema!

27 notas musicais

Música ajuda ou atrapalha os estudos?

Ao contrário do que diversos estudantes acreditam, ler e resolver exercícios em um silêncio profundo pode ser uma verdadeira armadilha para a concentração. Isso porque você fica suscetível a distrações por todo e qualquer mínimo barulho ou interrupção exterior.

Como resultado, é comum que você se esqueça do que acabou de ler e não absorva o conteúdo corretamente. Uma alternativa que surge para mudar esse quadro é desenvolver o hábito de estudar com música. Dessa forma, acostuma-se o ouvido aos ruídos e evita-se que seja perdido o foco por estímulos sonoros alheios.

Mas não é só isso. Segundo um estudo promovido pela Universidade de Caen em 2014, na França, aqueles que utilizaram sons durante o processo de aprendizado obtiveram um maior nível de atenção, desempenho e retenção da matéria, o que se refletiu em aprovações mais satisfatórias.

Isso acontece porque as melodias atuam diretamente na sua frequência mental, ou seja, aumentam a capacidade de memorização, estimulam a imaginação e ampliam seu nível de concentração.

Esses 3 fatores, quando combinados, melhoram a organização dos estudos e a compreensão do que foi lido, além de evitarem a procrastinação.

Qual é o estilo adequado para o momento?

Agora que você já sabe a resposta para a questão levantada no início deste artigo, deve estar se perguntando outra coisa: posso ouvir qualquer tipo de canção enquanto estiver estudando?

E é aqui que está o segredo para usar essa técnica a seu favor. Portanto, preste atenção: o estilo de música que você vai escutar está ligado ao que estiver sendo estudado. Ou seja: o efeito sobre o seu aprendizado só será possível se você fizer a combinação correta.

Quem for estudar matérias da área de exatas, como a matemática, por exemplo, deve optar por músicas clássicas ou instrumentais — incluindo sons da natureza, como cachoeiras, pássaros, etc.

28 cachoeira

A escolha se deve à melodia e à escala tonal presentes nessas canções, que giram em torno de 60 a 70 batidas por minuto, induzindo a pessoa a um estado de relaxamento, diminuindo a ansiedade e deixando a mente mais tranquila.

Como resultado, o estudante se torna mais alerta e capaz de resolver questões, contas e cálculos. Porém, esse estilo musical não se aplica àqueles que terão contato com conteúdos de humanas ou biológicas, como história, ciência ou português.

Isso se deve ao fato de usarmos o lado esquerdo do cérebro para processar esse tipo de informação e resolver problemas. Assim, nesses casos, o correto é elevar o número de batidas, chegando até 80 por minuto.

De acordo com o estudo realizado em 2013 pelo British Cognitive Behaviour Therapy, em Londres, e comandando pela PhD Emma Gray, músicas como soul e jazz estimulam o cérebro, tornando-o mais propenso a assimilar e, principalmente, a lembrar de fatos novos.

Já para aqueles que estão aprendendo ou lendo sobre o mundo das artes, o pop e o rock são ideais, pois incitam a produção de performances criativas, além de induzir o cérebro a um estado de excitação constante.

Vale ressaltar, porém, que ao escutar melodias com letras, o indicado é que sejam em um idioma que você não domine ou, preferencialmente, desconheça. Assim não há o risco de distrações com esse detalhe.

Cadastre-se e receba dicas e materiais toda semana

Obrigado por realizar sua inscrição, acesse seu e-mail e confirme sua cadastro.

Qual é a forma correta de usar a música a meu favor?

Volume

Você decidiu ouvir música durante os estudos, porém não sabe por onde começar. Não tem problema, vamos te explicar. O primeiro passo é entender que a melodia que você escutará deve estar em um volume baixo, se tornando, aos poucos, música ambiente.

Portanto, nada de deixá-la alta, como se estivesse em um show ou treinando para aprender a letra da canção (quando houver). Isso vai acabar tendo efeito contrário ao desejado e afetará a sua concentração.

Playlists

Uma vez ciente disso, é hora da próxima etapa: preparar as playlists. Se você escolher poucas músicas, é possível que acabe tendo que interromper os estudos várias vezes para fazer as canções recomeçarem a tocar.

Por essa razão, o uso de listas musicais é importante. Dessa maneira, você cria algumas opções que podem variar ao longo dos dias e que tenham uma duração superior ao tempo dedicado à leitura e afins.

Outro ponto importante é ter muito cuidado na hora de escolher as melodias aleatoriamente. Afinal, há pouco falei sobre como é importante definir o gênero musical que mais se adapta à sua realidade, não e mesmo?

E se você cometer o equívoco de mesclar estilos diferentes em uma mesma playlist, vai acabar desviando o foco do seu cérebro, que trabalhará de forma a prever o fim da canção, especialmente quando houver uma mudança drástica de estilo — jazz e rock, clássico e pop, etc.

Streamings

Se você decidir ouvir os sons em streamings de música (que estão cada vez mais populares atualmente), reproduzindo-os em sites como o Youtube ou até mesmo em alguma rádio, fique atento a uma questão importante: as propagandas.

Isso porque é comum que essas opções coloquem chamadas, diálogos e afins durante a execução das listas musicais, o que pode prejudicar a sua atenção. O ideal é que você tenha as músicas salvas no seu próprio computador, para evitar interrupções indesejadas.

Ambiente

Por fim, escolha um ambiente tranquilo e reservado, pois, mesmo que esteja ouvindo as melodias, é indispensável um espaço sem distrações, fontes de barulhos ou fluxo de pessoas.

Agora que você chegou ao fim do artigo, já sabe se a música ajuda ou atrapalha os estudos, não é mesmo? Não há dúvidas de que se trata de um recurso benéfico para o aprendizado.

É importante, porém, escolher o gênero musical correto e seguir as dicas dadas para garantir o máximo de atenção e aproveitamento desse poderoso método de desenvolvimento da concentração e de estímulo à memorização.

Gostou do texto? Veja também o artigo sobre música Lo-Fi

quantidade vs qualidade de estudo

Ps.1: Você sente dificuldade em estudar e memorizar? Gostaria de convidar você a conhecer o meu curso Estudo e Memorização.

Há mais de 20 anos ensino este método de memorização aplicada aos estudos, que já está presente em mais de 100 países e tem 97% de avaliação positiva. Dê uma olhadinha nos depoimentos dos nossos alunos:

» Clique Aqui e assista alguns depoimentos de alunos do curso «

Nas videoaulas eu explico de maneira bem objetiva, todas as estratégias que você precisará para arrebentar nos estudos.

Acredito tanto na eficiência do método que se em 7 dias você  não notar melhoras no seu nível de aprendizado, eu assumirei total responsabilidade e devolverei 100% do seu investimento. O que você acha? Clique aqui e saiba mais sobre o treinamento!

Viva bem. Lembre bem.

Até a próxima.

Renato Alves é escritor, pesquisador e primeiro brasileiro a receber o título oficial de melhor memória do Brasil. Autor de um método patenteado de memorização que ganhou reconhecimento nacional e já está presente em mais de 100 países.

Ps.2: Quer ter acesso à outras informações? Curta e siga a minha fanpage no Facebook e também inscreva-se no meu canal no Youtube.

 

19 Comentários


  1. parabéns foi bem instrutivo estou impressionado você fez um ótimo trabalho

    Responder

  2. oi gente
    muito interessante esse site, gostaria de dar os parabéns pelo excelente conteúdo.Foi muito útil para mim
    Obrigada 😉

    Responder

    1. Olá Renata, que bom que tenha gostado, continue acessando o canal.
      Abraços

      Responder

  3. Eu gosto de ouvir musica enquanto leio e trabalho mas tem que ser música instrumental… senão me atrapalha… bom artigo como sempre.

    Responder

  4. Cada pessoa tem a sua própria técnica para estudar, alguns preferem estudar sozinhos, em lugares silenciosos, outros gostam de estudar em grupos e há quem prefira revisar o conteúdo ouvindo música. Mesmo em silencio eu não consigo focar imagina com musica.
    Mas no dia da prova aquela musica chata fica na cabeça até a prova acaber hahaha.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *