O QUE MUDA NO ENEM 2019

O QUE MUDA NO ENEM 2019

Depois de receber diversas críticas na última edição, o Enem 2019 será atualizado e passará por importantes transformações estruturais.

As mudanças prometidas não afetarão apenas a forma como o conteúdo será elaborado. Mas também, as estratégias de aprendizagem que os estudantes deverão utilizar durante o período de preparação.

As novas fases do Enem

O Exame Nacional do Ensino Médio completou 20 anos recentemente, e muitas coisas aconteceram neste período.

Por exemplo, há pouco mais de vinte anos, seu smartphone se chamava telefone móvel, e sua função limitava-se a fazer e receber chamadas.

Hoje, o smartphone se tornou ferramenta indispensável para quem estuda para provas, vestibulares e concursos.

Nele cabem enciclopédias, dicionários e todo conteúdo que dão ao estudante comum, acesso a praticamente todo conhecimento produzido pela humanidade.

Nesse sentido, as escolas, professores e cursos preparatórios tiveram que acompanhar essas mudanças, inclusive o MEC.

Mudanças bem-vindas.

No dia 20 de novembro de 2018, o Ministério da Educação homologou novas diretrizes do ensino médio para a Base Nacional Comum Curricular.  

Uma das grandes novidades, é que parte do ensino médio poderá ser feita pela internet. Isto é, através de plataformas de ensino à distância (EAD).

Os alunos do período diurno poderão fazer, por exemplo, até 20% das aulas em casa, pela internet.

A mudança veio em boa hora!  Afinal, os estudantes já vinham estudando de maneira informal através de vídeos em canais de conteúdo.

A forma como os estudantes consomem conteúdo mudou radicalmente. Portanto, é razoável entender que o MEC e o Enem também devam acompanhar essas mudanças.

Você não precisa saber tudo.

O INEP – Instituto Nacional de Educação e Pesquisa, antecipou algumas mudanças do novo formato do Enem. Inegavelmente, irão melhorar a preparação dos alunos.

Antes, a organização da prova seguia um modelo enciclopédico e engessado. Por causa desse modelo, os candidatos precisavam saber tudo, de todas as matérias e em profundidade.

Para dar conta de tamanha pressão precisavam se desdobrar para decorar todo conteúdo. Sendo assim, tal procedimento criava um cenário de angústia e desmotivação entre os candidatos.

Com as novas mudanças o estudante não precisará decorar fórmulas e regras engessadas. Mas terá que ser capaz de ler, interpretar, compreender e memorizar conceitos importantes.

As habilidades mais exigidas no novo formato do Enem serão:

  •   Capacidade de estudar e memorizar matérias;
  •   Raciocínio acelerado e organizado;
  •   Domínio de uma gama específica de matérias;
  •   Capacidade de usar o conhecimento na resolução de problemas.

Veja este exemplo:

Imagine que uma das questões da nova prova do Enem seja:

“Quantos carros cabem numa rodovia?”

Para responder esta pergunta, o candidato terá que unir vários conhecimentos.

Matemática, geometria, geografia, física são alguns deles. Além disso, a resposta será dada de forma criativa através de uma dissertação objetiva, feita em língua portuguesa.

Com as mudanças propostas, a avaliação não solicitará tanto esforço concentrado numa única matéria. Mas, o domínio pleno daquelas que são básicas. Semelhantemente à forma que os alunos de países desenvolvidos aprendem a estudar e pensar.  

A propósito, eu gostaria de saber como você resolveria a questão acima se fosse um candidato do Enem!

Escreva sua resposta nos comentários.

As duas etapas do Enem

O novo exame do Enem 2019 continuará acontecendo em duas etapas, entretanto, elas obedecerão novas regras.

Na primeira etapa a grade será igual para todos. Em suma, serão testados os conhecimentos em matemática e língua portuguesa.

Os números de questões da segunda etapa serão cortados quase pela metade. A razão é que elas contemplarão as expectativas de aprendizagem das áreas de conhecimento que o aluno escolheu antes da inscrição.

Assim sendo, as provas serão interdisciplinares, dando um tom de flexibilidade e modernidade ao Enem.

Todos são capazes?

A pressão depositada no ENEM justifica-se quando pensamos que ele é a porta de entrada para o mercado de trabalho.

Sem dúvidas, qualquer um que queira garantir empregabilidade, tem no Enem uma ponte para chegar aonde deseja.

As mudanças que serão estabelecidas, além de direcionar melhor os concorrentes para as áreas desejadas, fará com que os mesmos apliquem seus conhecimentos de forma mais objetiva naquilo que entendem.

Além disso, o candidato se sentirá mais capacitado e confiante em conseguir realizar suas metas.

A memorização ainda estará presente

A nova face do ENEM, muito mais que uma evolução, mostra uma certa empatia com os participantes.

Porém, isso não é um sinal de que o aluno deverá pegar leve com os estudos.

Mais do que nunca, será preciso possuir conhecimento a respeito de tudo. Afinal, mesmo com conteúdo direcionado, a avaliação ainda testará a capacidade de compreensão e memorização.

Não serão os mais estudiosos que irão passar de primeira no Enem. Mas sim aqueles que estudam do jeito certo e conseguem manter o conteúdo vivo na memória por mais tempo.

Menos decoreba, mais memorização.

Decoreba” é um processo de repetição sistemática de um conteúdo até a saturação das memórias operacionais.

Só para ilustrar, você consegue decorar umas regras repetindo-as algumas vezes. No entanto, isso não significa que você consiga resolver a questão: “Quantos carros cabem numa rodovia?”, por exemplo.

Dessa forma, entende-se que um estudo feito com qualidade implica na memorização do conteúdo. Uma vez que memorizado, o estudante consegue resolver problemas com mais facilidade e rapidez.

Aliás, facilidade, rapidez e confiança no que foi estudado faz toda diferença no momento da prova.

Método de estudo para o Enem.

Quando eu criei a primeira versão do curso Estudo e Memorização para o Enem, o material didático dos estudantes eram apostilas com borda espiral e xerox.

Hoje, os estudantes estão indo para a Internet em busca de conhecimento. Sem dúvida, tal mudança de comportamento, exigiu que fizéssemos mudanças em nosso modo de ensinar memorização.

No mês de junho, ou seja, bem antes de acontecer o Enem, fechamos contrato com a Instructure Canvas. Só para exemplificar, é a plataforma EAD que hospeda os cursos das universidades de Harvard e Stanford.

Temos orgulho de dizer que somos o primeiro curso de memorização do mundo que utiliza a mesma plataforma de ensino a distância das melhores universidades.

Com isso conseguimos colocar nossos alunos em posição privilegiada ante a concorrência.

Veja o depoimento de um dos nossos alunos.

As mudanças do Enem 2019 são inevitáveis e só estão começando.

A forma como você se prepara também precisa mudar.

Vale lembrar que nada disso terá efeito se você não tiver foco e disciplina nos estudos. Afinal, o seu sucesso é você quem faz!

Ps.: Agora vamos ao desafio.

Explique nos comentários como você resolveria a questão:

“Quantos carros cabem numa rodovia? ”.

Estou ansioso para ver como você se sai!

Viva bem. Lembre bem.

Renato Alves.  

Banner Top

3 Comentários


  1. Muito bom. Passa da hora de mudarmos o ensino e torná-lo mais atrativo e eficiente para nossos jovens. Importante salientar professor que o ENEM é aceito com efetividade nas faculdades lusófanas, ou seja que falam a língua portuguesa. Para quem quer ir para a Europa as universidades portuguesas são uma boa opção de entrada.

    Responder

  2. Muito interessante o artigo. É legal ver toda a evolução que o ENEM está passando.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *