5 dicas para garantir a sua aprovação em concurso público

Uma carreira de sucesso e renda estável é o sonho de todo profissional. O caminho mais conhecido para que isso se torne realidade é conseguir aprovação em concurso público. No entanto, nada vem de graça nesta vida, não é?

Então, a menos que você seja superdotado ou muito sortudo, você só terá chances se estudar e se dedicar muito! É claro que essa não é uma missão impossível. Eu, por exemplo, me considero um modelo de superação, porque era um cara totalmente esquecido e conquistei o título de melhor memória do Brasil.

O que representou uma virada total na qualidade dos meus estudos. Para ser aprovado você precisa ter foco, disciplina, organização e um bom método de estudo e memorização para mandar bem nas provas.

O segredo do sucesso nos estudos é usar a memória com inteligência. Cuidar da saúde também é fundamental: com uma boa alimentação, horas adequadas de sono e postura correta quando for se debruçar nos livros e computador são alguns detalhes simples, mas que podem ser seus maiores aliados.

Quer saber como você pode de forma simples maximizar seu potencial e criar ótimas condições para que sua aprovação esteja cada vez mais próxima? Confira as dicas deste post!

Organize seu local de estudo, o primeiro passo para garantir sua aprovação em concurso público

Só quem passa horas estudando sabe a diferença que faz estar em um local adequado, com conforto, luz apropriada e sem interferências à concentração. Então, se a sua casa não for o recanto mais apropriado para essa finalidade, o ideal é buscar uma alternativa — uma biblioteca ou uma escola que tenha sala de estudos.

O importante é que alguns cuidados sejam tomados para que esse tempo de dedicação não se transforme em dores de coluna, vista cansada, stresse — ou pior, que seja ele improdutivo e não facilite o caminho para o objetivo traçado.

Cuidado com a postura

Suportar várias horas de estudo seguidas exige atenção a riscos de prejuízo ao corpo, especialmente à coluna. Detalhes simples como uma cadeira adequada — a chamada ergométrica — fazem toda a diferença. Além disso, é importante atentar-se para a altura do monitor e do teclado do computador, evitando desnível do pescoço e dos cotovelos.

Aquela tentação de ir se afundando na cadeira até ficar praticamente deitado deve ser evitada. Deitar, de fato, em camas e sofás deve ser uma opção descartada. Além de ser totalmente inapropriada para a saúde física, a posição também impacta a concentração e prejudica a memorização.

Procure um recanto de paz

Tranquilidade é pouco quando se tem uma meta ambiciosa. Não é exagero dizer que o importante é encontrar um lugar onde o candidato se sinta bem, à vontade, verdadeiramente em paz.

Sabe aquela coisa de energia de um local? Pois é… Eu acredito que certos lugares podem ter energia boa ou ruim. É preciso sentir que ela seja positiva, que colabora para a fluidez dos pensamentos, que faz com que o estudante se sinta em casa — mesmo quando não for este o caso.

Preserve a visão

Hoje as tecnologias vêm substituindo os materiais didáticos tradicionais. Com isso, boa parte dos conteúdos estão disponíveis em meios digitais e isso exige leitura e interação com telas de computadores de mesa, notebooks e tablets.

Esses dispositivos irradiam muita luz, além de calor e ondas eletromagnéticas. Por isso, é bom manter uma certa distância para poupar a visão. Muitas vezes aquela sensação de “vista cansada” é decorrente do hábito de manipulação muito próxima dessas telas — experimente se afastar um pouco e note a diferença.

Ilumine o ambiente

Você já sentiu dor de cabeça após muito tempo de leitura? O que chamam de “forçar a visão” pode ter relação com isso. É o corpo “avisando” que está sendo exigido além do que ele pode suportar. Fique atento aos sinais!

Da mesma forma que o excesso de luz prejudica, a falta dela também é um problema. O ideal é encontrar um meio termo para que se tenha um ambiente confortável e saudável à visão e a outros sentidos.

Se não for possível contar com iluminação natural, as lâmpadas que emitem luz que puxam para o branco azulado influenciam no ânimo de quem ocupa o ambiente, estimulando o trabalho — ao contrário daquelas de tom amarelado, que dão a sensação de relaxamento.

Braços, pra quê te quero

Quando sustentamos por muito tempo um livro ou uma apostila, em poucos minutos vem aquela dormência nos braços. Imagine se essa situação perdurar por horas?

Além de forçar braços e ombros, o que pode trazer problemas a longo prazo, a mudança constante de posição para aliviar a sensação de sobrecarga tem um outro reflexo: influencia na concentração, corta o ritmo do estudo, desfoca o candidato.

Existem alguns apoios de livro — vendidos em papelarias, livrarias e em lojas de objetos de decoração — que podem solucionar esse problema. Esse suporte firma o livro diante do estudante, deixando livres braços e pescoço, que ficam posicionados de maneira confortável e sadia.

Quanto menos atrativos, melhor

Aquela vontade de dar uma conferida nas mensagens do celular ou nas postagens dos amigos nas redes sociais é a principal forma de sabotar os estudos.

Se a tentação for mais forte do que você, então providências mais drásticas terão de ser tomadas: desligue o celular e o tablet, deixe-os em casa ou guardados no armário para sequer ouvir ou perceber qualquer sinal de atualização.

Quanto ao grupos disso e daquilo que entramos no Whatsapp, e que não se discute nada que seja realmente produtivo, simplesmente aperte um botão e “saia do grupo”. Já fiz isso muitas vezes e lhe garanto: não dói, não fará a menor falta e não sentirão falta de você.

Tudo em excesso faz mal

Uma cadeira muito confortável e um ambiente muito aconchegante podem tirar o estudante daquele “estado de alerta” que falamos no início do post. E o resultado pode ser o pior de todos: cair no sono!

É bom lembrar que estudar é uma forma de trabalho, cujos resultados, inclusive remuneração, virão mais adiante. Por isso, o nível de comprometimento precisa ser o mesmo de uma atuação profissional, até mesmo em relação à postura e à forma de encarar o desafio diário. As horas de relaxamento devem ficar para outro momento.

Organização é fundamental

Nosso cérebro é estimulado por vários sentidos e a visão é um dos mais importantes. Então, quando estamos acomodados em um ambiente bagunçado, cuja mesa possui vários objetos espalhados, as chances de desviarmos nossa atenção são grandes.

Pessoas desorganizadas são mais esquecidas, por isso, busque um local organizado — com o mínimo de informação visual — para que o foco seja o mais exclusivo possível naquilo que realmente interessa.

Cada pessoa, um método

Alguns incentivos visuais podem fazer do espaço de estudo um templo de motivação. Sabe aquele cifrão que brilha nos olhos quando se pensa no salário de um servidor público? Pois é! Imprima uma simulação da sua futura folha de pagamento e pregue na parede! Sério!

Sabe a viagem dos sonhos, a casa, o carro? Monte um mural com fotos desses desejos. Eles provocam sensações positivas no cérebro e ajudam a liberar substâncias ligadas ao ânimo e prazer. Cerque-se de vontade, de incentivos, de perspectivas, de visão de futuro e estude mais motivado!

Crie um plano de estudos

Para atingir uma meta na vida ou no trabalho, o primeiro passo é planejar. Isto é, traçar rotas para encurtar a distância entre a situação atual e um objetivo. Então, se os planos são se tornar um concursado, organize ideias e ações para que o tempo disponível seja aproveitado da forma mais eficiente.

Em um cenário de sobrecarga de tarefas, grandes volumes de material e muitas disciplinas a absorver, não há outro caminho senão traçar um plano de estudos. Ele deve ser composto por matérias a estudar e revisar, pelo encaixe desses assuntos em uma grade de dias e por horários, prioridades e intervalos de descanso.

Além disso, é preciso definir a organização que será dada a enfoques diferentes, como revisão de literatura, produção de resumos, realização de testes e simulação de provas. Essa consolidação que envolve o quê, como e quando estudar pode compor uma planilha, que pode ser transposta para um quadro de parede.

Com cartolinas, post-its e pincel atômico, a fila de matérias de cada dia pode ser visualmente demonstrada. As cores e posições das peças servem de estímulo, dão um tom lúdico ao planejamento e ajudam o estudante a se manter centrado e focado em resultados.

Para definir o que deverá ser abordado durante os estudos observe o edital do concurso para o qual se está estudando. É aquele conteúdo programático que definirá quais matérias abordar e qual priorizar — em função do peso da pontuação e do nível de dificuldade do candidato.

Se os estudos são uma forma de preparação genérica para diversas oportunidades, o ideal é comparar editais de órgãos públicos de interesse e montar uma grade que contemple os focos mais recorrentes.

Agora, se o candidato se divide entre trabalho e estudos, além de afazeres domésticos, a planilha ou quadro precisam constar essas atividades e o tempo que será dedicado a elas. Saber dividir-se não é tarefa fácil, mas um bom planejamento pode ajudar muito nessa missão. Adiante teremos mais dicas sobre isso!

Quem já trabalha terá mais facilidade com um plano de estudos, afinal, ele não passa de uma estrutura de projeto— com cronograma, ações, metas e resultados esperados. A única diferença é que, em projetos profissionais, as tarefas são distribuídas entre responsáveis e, no caso da luta por um cargo público, o esforço só depende de você!

Gosto de ensinar aos meus alunos, passo a passo, como montar um Plano de Estudo vitorioso e como utilizar as melhores técnicas de estudo, foco e memorização no aprendizado. Eles relatam mudanças significativas já nos primeiros dias do curso. Acredito que a minha missão é ajudar pessoas como você, que tem interesse em aumentar a capacidade de lidar com grande quantidade de informação e com isso melhorar as chances de aprovação. 

Conte com o auxílio de técnicas de memorização

Nem sempre ter uma “memória de elefante” é produtivo para os estudos, você sabia? Isso porque memória com foco em aprendizagem tem um viés mais estratégico, de priorizar o que é importante, de “indexar” assuntos para que sejam recuperados rapidamente na mente sempre que necessários.

Para ir bem em testes cujo conteúdo é extenso e nos quais cada questão certa pode salvar o resultado final, é preciso mais do que memorizar: você deve ser assertivo, estrategista e não errar o alvo.

Por isso, valer-se de técnicas de memorização pode dar um salto de qualidade nos estudos e na sua capacidade de “tirar da cartola” a solução para um problema, com agilidade e eficiência. Note que existe um abismo que separa a capacidade de memorização estratégica da famosa “decoreba”, hein?

Vamos listar algumas das técnicas mais utilizadas para ativar a lembrança de temas estudados e espantar o terrível “branco”. Preste atenção!

Transforme conteúdos em um funil

Quando estiver estudando um assunto, busque começar pela informação mais geral, sobre a que apresenta o tema e contextualiza sua aplicação. Só então desça até os detalhes e as características mais específicas. Tente formar uma espécie de funil, cuja lembrança será de um assunto geral que vai diminuindo até chegar a uma abordagem pormenorizada.

Se você for facilmente estimulado por recursos visuais, desenhe um funil e, sempre que notar uma mudança de nível no assunto, trace separações com títulos para guardar a sequência que compõe aquele conteúdo — sempre do maior para o menor, do geral para o específico.

Siglas para sintetizar assuntos

Uma forma de memorizar informações indispensáveis sobre um assunto é criar uma sigla que contemple as iniciais de cada item que não pode ser esquecido.

Nos cursinhos de Direito Administrativo, por exemplo, é muito usada a sigla LIMPE para se referir aos cinco princípios da Administração Pública: Legalidade, Impessoalidade, Moralidade, Publicidade e Eficiência.

Frases que sugerem contextos

Da mesma forma que siglas retomam itens, elas podem construir frases que relembram sequências ou partes de um todo. Isso pode ser usado para memorizar fórmulas, como a usada para determinar a intensidade de um campo elétrico. Veja: “E = F/Q (Ela Fica Elegante, Querida!”).

Muito aprende quem ensina

Cora Coralina eternizou a frase “Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina”. Ela estava coberta de razão: sempre que transmitimos um conhecimento a alguém, organizamos informações em nossa mente e traduzimos aquele arcabouço em uma forma inteligível de expressar todo um conteúdo já sedimentado.

Caso você não tenha alguém para ensinar, simule aulas na condição de “professor”. Essas aulas podem ser filmadas no seu próprio celular e revistas sempre que necessário.

O poder do olhar

A visualização de uma informação tem o poder de ajudar (e muito!) na sua memorização. Já falamos aqui dos estímulos visuais e agora podemos agregar um termo muito usado na pedagogia: a memória sinestésica, aquela que funciona por experiências sensoriais.

Então, qualquer imagem pode ser montada para representar partes de um conhecimento. Um mapa de um país, por exemplo, pode ter os nomes dos estados substituídos por referências que compõem algum outro contexto, como elementos químicos.

Assim, Minas Gerais vira cálcio. São Paulo, sódio — e assim por diante. Nada é esdrúxulo e não é preciso ter uma lógica ou uma conexão direta entre forma e conteúdo. O que importa é que a criatividade produza algum sentido e traga à tona informações que apresentam um alto nível de dificuldade para serem memorizadas.

Otimize a sua concentração

Em meu sétimo livro O Cérebro com Foco e Disciplina – Editora Gente, 2014 explico que a capacidade de memorização está diretamente relacionada à de concentração. Não adianta dominar técnicas para organizar conteúdos mentalmente se você for disperso. Cada cabeça, uma sentença. Isso explica porque cada pessoa tem seu próprio estilo de aprendizagem e de se debruçar sobre os estudos.

Cada um tem uma capacidade de absorção diferente, mesmo que submetido ao mesmo tempo e método que outras pessoas. Por isso, não existe receita de bolo para que uma pessoa consiga se concentrar, mas a ciência fornece alguns subsídios, baseados em neurociência e na capacidade cognitiva do ser humano.

Então, existem, sim, meios para promover maior concentração mental — o que varia é o resultado da aplicação dessas técnicas por cada pessoa. Vamos conhecer alguma delas?

Silêncio nem sempre é importante

Muito se fala sobre a necessidade de silêncio para a produtividade dos estudos. Mas aqui vale aquela máxima: “cada um, cada um”. Ou seja, cada pessoa tem seu método de aprendizado, sua forma de construir sinapses —conexões cerebrais que transformam estímulos em conhecimento.

Então, se o estudante se conhece e sabe que seu poder de concentração aumenta quando ouve uma música ao mesmo tempo em que estuda, qual é o problema? Se a intenção é maximizar o potencial de assimilar um conteúdo, tudo é válido — desde que os resultados sejam favoráveis e comprovados por quem resolve experimentar meios diferentes de estudar.

Ler é importante, escrever é fundamental

Quando resumos e fichamentos são produzidos, a mente elabora o assunto para conseguir sintetizá-lo no papel ou na tela. Isso ativa os neurônios e facilita não só a memorização, como também a concentração.

Quando só lemos, corremos o risco de ficarmos entediados, especialmente se o assunto não é o que mais nos agrada. Então vamos dispersando nossa atenção aos poucos e logo estamos lendo frases, mas sem absorver qualquer conhecimento.

Para escrever, precisamos raciocinar o tempo inteiro, especialmente se optarmos por traduzir alguma informação em outras palavras, e não simplesmente copiar frases prontas. Essa técnica impacta no tempo dedicado, mas dá ganho de escala aos resultados. E é isso o que interessa.

Apelo visual é tudo

Mais uma vez vamos falar de estímulos visuais, pois eles são muito importantes e efetivos. Já sabemos que eles ajudam a guardar informações na memória, mas também servem para nos manter atentos.

Então, se há um capítulo da Constituição Federal que cai em todo concurso, pregue fitas adesivas coloridas, destaque os títulos com marca-texto, espalhe adesivos por essas páginas.

Quando o assunto começar a ficar enfadonho, mire em um desses elementos. Eles te ajudarão a lembrar que agora não é hora de preguiça ou de procrastinação — foco total no que é necessário naquele momento.

Não existe caso sem solução

Caso perceba que sua dificuldade de concentração pode ser grave, não há porque temer diagnósticos de especialistas. É válido procurar ajuda médica para identificar eventuais distúrbios. Nem sempre remédios serão a solução, mas poderão ser indicadas terapias ou táticas simples de realizar na rotina diária para ajudar nesse quesito.

Cadastre-se e receba dicas e materiais toda semana

Obrigado por realizar sua inscrição, acesse seu e-mail e confirme sua cadastro.

Concilie trabalho e estudo com eficiência

Não é preciso ser um super-homem para conseguir conciliar trabalho e estudos. Basta ver a realidade de tantos brasileiros que trabalham o dia todo, estudam à noite e, quando chegam em casa, ainda cuidam de afazeres domésticos e dedicam um tempo aos filhos.

Tudo é possível — o que não significa que seja fácil. O que motiva é pensar que o sacrifício de hoje será recompensado amanhã. Esse precisa ser o gatilho mental de todo concurseiro!

Então vamos a regras básicas a serem seguidas por quem quer administrar seu tempo com eficiência:

  • Organize seus e-mails. Separe o pessoal do profissional e crie blocos de assuntos. Priorize os assuntos mais relevantes e sempre responda as mensagens desses grupamentos.
  • Cuidado com as redes sociais. Elas demandam tempo no trabalho e em casa. Reserve um período do dia para passar o olho nas novidades e responder aos chamados dos seus contatos.
  • Intercale os tipos de atividades. Não adianta encher a agenda de uma semana com reuniões e não programar um tempo para organizar as informações e decisões tomadas, ou enviar documentos que foram demandados. O ideal é ter uma alternância entre dias ou períodos de saídas do ambiente de trabalho com o de presença no escritório. O mesmo vale para os estudos, de forma que períodos de leitura sejam alternados com os de resumos, redações ou simulação de provas.
  • Seja flexível. Não adianta programar-se como um robô para um dia inteiro de compromissos e irritar-se quando algum imprevisto acontece. É bom ter uma programação que permita alterações.
  • Separe um tempo para você. Profissional e estudante precisam ser pessoas saudáveis, com inteligência emocional e convivência harmônica com seus círculos de relacionamento. Tudo isso influencia no desempenho no trabalho e nos estudos.

Essa lista poderia ser muito mais extensa, mas o fato é que disciplina, organização, bom senso e flexibilidade não podem faltar para que uma pessoa seja bem-sucedida em todos os seus empreendimentos — pessoais e profissionais.

Fazer o tempo que temos valer a pena não é um dom: é possível aprender um pouco a cada dia. Sejamos perseverantes!

Conclusão

Vivemos em um contexto de cobrança por sucesso, conquistas e prosperidade. Essas podem ser ambições saudáveis, desde que haja um equilíbrio entre sacrifício e recompensa.

Você já ouviu ou leu a seguinte expressão: “O valor de uma coisa é medido pelo tempo de vida que ela consome”? Vale a pena refletir sobre isso. Quanto da sua vida tem sido dedicado a estudar? Para quem deseja um cargo público, a resposta provavelmente será muito tempo!

Não há problema nisso, afinal, não há colheita sem plantio. O importante é que o candidato lance mão de todos os recursos para conseguir sua aprovação em concurso público — estratégia, organização, aprendizado de técnicas de memorização e de concentração — para sentir-se seguro e apto a vencer os desafios e chegar ao destino final o quanto antes.

Somos da filosofia de que aprendizado nunca é demais! Quer nos ensinar seu método para alcançar bons resultados em concursos públicos? Comente aqui e nos ajude a compartilhar ideias com eficácia comprovada!

Juntos podemos ser mais fortes!

Ps.1: Você sente dificuldade de memorizar aquilo que aprendeu? Gostaria de convidar você a conhecer o meu curso Estudo e Memorização.

Há mais de 20 anos ensino este método de memorização aplicada aos estudos. Dê uma olhadinha nos depoimentos dos nossos alunos:

» Clique Aqui e assista alguns depoimentos de alunos do curso «

Nas videoaulas eu explico de maneira bem objetiva, todas as estratégias que precisará para aprender qualquer matéria que precise, inclusive idiomas e exatas.

Acredito tanto na eficiência do método que se em 7 dias você  não notar melhoras, eu assumirei total responsabilidade e devolverei 100% do seu investimento. O que você acha?

Clique aqui e saiba mais sobre o treinamento!

Viva bem. Lembre bem.

Até a próxima.

Renato Alves é escritor, pesquisador e primeiro brasileiro a receber o título oficial de melhor memória do Brasil. Autor de um método patenteado de memorização que ganhou reconhecimento nacional e já está presente em mais de 100 países.

Ps.2: Quer ter acesso à outras informações? Curta e siga a minha fanpage no Facebook e também inscreva-se no meu canal no Youtube.

Curso Estudo e Memorização

11 Comentários


  1. Opá tudo bom, estar motivado é a essência no dias atuais, por isso precisamos de conteúdo que nos ajudem, parabéns pelo blog me ajudou muito.

    Responder

    1. Fico feliz em ver que gostou do conteúdo Renato. Muito obrigado pelo feedback 😉

      Responder

  2. Olá Renato, eu leio todos os e-mails que você me manda e já vi todos videos no youtube, são excelentes dicas que me ajudam muito nos estudos. Te admiro muito pelo seu trabalho com os estudantes. Você não sabe o tanto que esta me ajudando a priorizar os estudos. Acho que os estudos é a base do ser humano. Apesar da dificuldade financeira tentarei o máximo comprar o curso de memorização. Irei recomendar os meus amigos também estudantes. UM ABRAÇO!

    Responder

    1. Olá, Matheus. Parabéns pelo esforço, estamos aguardando você no treinamento.
      Não deixe de acompanhar todos os nossos canais.
      Abraço, sucesso.

      Responder

  3. Boa noite, eu anotei suas dicas são valiosas e vou praticar. Obrigado.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *