4 técnicas de memorização para vestibulares e por que funcionam

Você que vai prestar vestibular ou concurso, já parou para pensar no teste de memória ao qual será submetido? Existe um método de memorização para vestibulares?Em pouco mais de 4 horas, anos de estudos deverão estar acessíveis em sua memória. Isso é um desafio para qualquer ser humano. Por isso, ter uma MEMÓRIA PREPARADA não é luxo, mas uma questão de garantir um futuro acadêmico, por tudo isso, separei para você 4 técnicas de memorização para vestibulares e por que funcionam.

Candidatos do Enem precisam cuidar da alimentação

As técnicas de memorização para vestibulares são ferramentas úteis e eficazes para a aprovação nesses certames. Quem pensa que essas práticas são repetitivas, sem fundamento ou inconsciente está muito enganado.

Se você está na fase de estudos para o vestibular e quer aumentar seu desempenho cerebral, não deixe de conferir este artigo. Selecionei para você algumas técnicas de memorização. Sugiro que comece a aplicá-las para obter a tão desejada aprovação no vestibular.

1. Estágios do processo de memorização para vestibulares

Para entendermos sobre o processo de memorização, é crucial conhecermos os seus estágios. Basicamente ele é composto por 4 etapas: aquisição, consolidação, evocação (lembrança) e esquecimento (etapa que tenho certeza que você não quer experimentar).

A primeira etapa consiste na aquisição, ou seja, a entrada de novos conhecimentos no cérebro funcional. Para que isso ocorra naturalmente, você deve, obviamente, abster-se dos elementos que desviam a atenção — tais como celulares, conversas ou músicas no fone de ouvido.

A segunda etapa consiste na consolidação, processo em que a informação aprendida ficará armazenada durante um bom tempo nas estruturas cerebrais mais complexas. Para que isso se fortaleça, é importante que ela seja conectada a outros conhecimentos.

O terceiro passo é a evocação, também conhecida como lembrança. Nessa prática, você consegue acessar o conteúdo que foi consolidado e descrevê-lo conforme foi aprendido. Essa etapa é a mais importante no momento da prova e demonstra se houve, ou não, eficiência nas fases anteriores.

A quarta etapa é o esquecimento, em que o conhecimento foi perdido e você não se lembra mais dele. Pode acontecer por diversos motivos, mas o principal deles é que a informação não foi evocada e perdeu as conexões cerebrais relacionadas ao assunto.

As técnicas de memorização, como disse, são eficientes nas três primeiras fases e ajudam o vestibulando a reter as informações importantes. Por isso, é fundamental fortalecer a memória para que na hora H você não esqueça nenhum detalhe.

2. Concentração cerebral e recrutamento dos órgãos dos sentidos

A primeira técnica de memorização consiste no recrutamento amplo dos órgãos dos sentidos (visão, audição e tato), e para isso, é importante, primeiramente, entender como algumas situações podem diminuir essa habilidade.

As salas de cursinhos para vestibulares costumam ser amplas, com um grande número de cadeiras, e os professores ficam distantes dos alunos. Por isso, acomodar-se em um lugar arejado, com pouca influência da luz solar é o primeiro passo para ajudar no aprendizado.

Para aumentar a concentração, evite sentar perto de colegas conversadores, coloque o celular no modo silencioso e não recorra a ele para acessar mensagens de aplicativos. Todos esses fatores são considerados elementos que diminuem a capacidade de concentração.

Cadastre-se e receba dicas e materiais toda semana

Obrigado por realizar sua inscrição, acesse seu e-mail e confirme sua cadastro.

Procure prestar atenção no professor e memorizar as aulas sem precisar anotar. Caso sua memória ainda não esteja fortalecida o suficiente para esta proeza, pegue um lápis e um caderno, procure anotar as frases mais importantes do conteúdo ministrado. Esse primeiro processo te ajudará quando você for estudar esses conceitos, porque quanto mais recursos utilizar para aprender um conteúdo, maior a probabilidade de consolidação na memória.

Sendo assim, quando estiver estudando, faça resumos, esquemas, leia em voz alta, grave sua aula ou a do professor (se for permitido, é claro). Dessa forma, você estará recrutando os órgãos sensoriais e estruturas cerebrais mais profundas.

3. Diferentes tipos mnemônicos para consolidar a informação

As técnicas de memorização para vestibulares mais eficazes na assimilação de conteúdo são as práticas mnemônicas. Elas são utilizadas para consolidar uma grande quantidade de informação e podem ser resumidas em frases, situações, músicas, expressões, imagens ou conexões.

As técnicas mnemônicas são apresentadas para os alunos, desde o jardim de infância até os estudantes realizarem provas mais difíceis de vestibulares e concursos públicos. Para cada fase, é importante entender a maturidade cerebral e os conhecimentos prévios.

Músicas mnemônicas facilitam a consolidação de sequências, fórmulas matemáticas ou listas numeradas. Essa técnica é muito eficaz, e devido ao seu ritmo, tende a ser mais fácil para evocar essa informação — mas apresenta a desvantagem de ser acessada inconscientemente.

Os nomes mnemônicos ou acrônicos são usados para gravar sequência de fatos. Nesse caso, temos, por exemplo, os 5 princípios do direito administrativo: LIMPE (legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência).

As imagens mnemônicas mostram a sequência de acontecimentos e direcionam o pensamento. Exemplo disso são fases da divisão celular, metabolismo dos principais nutrientes e o processo de formação das rochas.

Em todos esses processos, a entrada de informações é feita de forma consciente e a evocação é feita por meio das dicas mnemônicas. O mais interessante é que as técnicas de memorização serão acessadas somente quando necessário, e por isso não causam estafa mental. São tão eficientes que podem ser acessadas após anos de aprendizagem.

Não se trata de algo repetitivo ou robotizado, pois os fundamentos neurocientíficos ainda continuam sendo estudados. A escola de medicina da Universidade de Utah, nos Estados Unidos, considera as técnicas de memorização objeto de pesquisa e as recomenda como práticas eficientes para o aprendizado.

Os alunos chineses assimilam o grande conteúdo ministrado na sua grade curricular por meio de técnicas mnemônicas utilizadas pelos professores. Além disso, é obrigatória a prática de exercícios físicos, aprendizagem de um segundo idioma e práticas de simpatia e gentileza.

A diversidade de conteúdos e as longas horas de estudos são consideradas técnicas eficazes tão importantes quanto as estratégias de memorização na educação chinesa.

4. Conexão com outros conhecimentos já adquiridos

Pense em uma pessoa inteligente. A inteligência não está relacionada apenas ao fato de memorizar novos conhecimentos, mas de relacioná-los a outros já existentes. Isso significa dizer que quanto mais se estuda, maior é o número de conexões cerebrais, mais rápido será o raciocínio e mais fácil será o aprendizado.

Se você aprender algo novo hoje e relacionar com outras informações já consolidadas na memória, a chance de retenção de conhecimentos é muito maior — isso porque intensifica as sinapses já existentes e traça novos caminhos neurais.

É o princípio da neuroplasticidade, em que as novas formações neurais facilitam a entrada de informações e geram os famosos insights. Ou seja, aquela hora que você fala “ah, então é por isso que esse fenômeno ocorre”!

Portanto, sempre que aprender algo novo, tente relacionar com as suas atividades diárias, acontecimentos jornalísticos, observações da natureza, relações de consumo, etc. A aplicação prática dos conhecimentos adquiridos é uma boa estratégia para relacionar o conteúdo teórico.

As técnicas de memorização para vestibulares devem ser aplicadas para garantir aprendizado, consolidação e principalmente evocação no momento da prova. Por isso, quanto mais recursos cerebrais você utilizar para aumentar a produtividade nos estudos, maior é sua chance de aprovação.

Agora que você já sabe mais sobre as técnicas de memorização e como elas apresentam um fundamento científico que pode melhorar seu desempenho, espero que você tenha gostado.

Não esqueça de deixar seu comentário aqui abaixo e aproveite para conhecer o meu curso Estudo e Memorização para vestibulares, no treinamento eu ensino a aplicação prática da memorização voltada aos estudos

Nas videoaulas on-line eu explico de maneira simples e objetiva, todas as estratégias que você precisará para ser aprovado no ENEM ou naquele vestibular dos seus sonhos.

» Clique Aqui e assista alguns depoimentos de alunos do curso «

Para que você adquira agora mesmo o curso Estudo e Memorização, e por acreditar tanto na eficiência do meu método, além dos bônus eu ainda lhe ofereço uma garantia especial.

Se em 7 dias, depois de aplicar o método, você  não notar melhoras, eu assumo total responsabilidade e devolverei 100% do seu dinheiro. O que você acha? Clique aqui e comece agora mesmo o treinamento!

Renato Alves é escritor, pesquisador e primeiro brasileiro a receber o título oficial de melhor memória do Brasil. Autor de um método patenteado de memorização que ganhou reconhecimento nacional e já está presente em mais de 100 países.

Quer ter acesso a outras informações? Curta e siga a minha fanpage no Facebook e também inscreva-se no meu canal no Youtube.

Curso Estudo e Memorização

5 Comentários


  1. Noooooooossa!!
    Muito obrigada, estou estudando a 2 anos para um concurso e não sabia dessas dicas.
    Perco o foco muito rápido principalmente com o celular.

    Responder

  2. Adoro Tomar Coca Gelada para lembrar dos pares das bases de DNA eu aprendi há anos atrás…
    C com G… T com A… na molécula de DNA!
    Mas eu só conseguia fazer porque eu gostava de biologia… E a professora ajudava muito fazendo e ensinando as rimas e frases…

    Agora matemática………………………………………..

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *