Livro ou tablet: descubra qual é o melhor para a compreensão da leitura

Na hora de estudar, escolher entre livro ou tablet pode se tornar um dilema. Afinal, cada um tem seus prós e contras, que vão desde acessibilidade e preço até conforto e estética. Mas a principal dúvida que surge é bastante complexa: é mesmo mais difícil compreender o conteúdo de um livro na sua versão digital?

Diversos pesquisadores ao redor do mundo têm dedicado sua atenção a esse tema, e as conclusões nem sempre convergem para uma única resposta. Com o passar dos anos, os leitores têm se mostrado mais acostumados com o meio digital.

Neste post, explicarei como cada um dos meios influencia a sua leitura. Acompanhe!

Livro ou tablet: diferenças na experiência de leitura

Livro ou tablet formato digital

Segundo Ferris Jabr, da revista Scientific American, o cérebro percebe as letras como objetos. Dessa forma, o livro se apresenta como um terreno cheio de objetos. E, por demandar ações motoras e sensoriais — como virar as páginas —, ele se constrói espacialmente no cérebro.

Como a nossa memória se vale não apenas de informações, mas de sensações — texturas, cheiros, ações —, ao virar as páginas, sentir o odor do papel, marcar com um lápis ou marca-texto as passagens importantes ou fazer anotações você conseguiria uma memorização mais aprofundada.

Os livros, além de tudo, são objetos com design específico, pesos e tamanhos diferentes. Enfim, são cheios de estímulos para a memória.

Já no texto digital, o leitor perde a noção do “terreno”. É como se estivesse em uma floresta densa e só conseguisse ver uma árvore — ou página — por vez na sua frente.

Assim, não é possível perceber a dimensão de um texto de relance, nem determinar em que ponto da leitura se está ou onde está a informação de que precisamos. Sem essa noção espacial, a memória tem menos dados com os quais trabalhar, tornando mais difícil recordar partes específicas de um texto.

Um estudo realizado em 2011 na Universidade de Stavanger, na Noruega, idealizado pela pesquisadora Anne Mangen, chegou a conclusões que corroboram essa ideia. Cinquenta pessoas leram um conto de 28 páginas. Metade delas leu em papel, enquanto a outra metade leu no tablet. Depois, todas foram submetidas a uma bateria de perguntas.

Os resultados foram os mesmos entre ambos os grupos de leitores nas questões relacionadas a determinar quem eram os personagens, por exemplo. Porém, quando os grupos foram questionados sobre a ordem dos eventos do enredo, aquele que leu no papel se saiu ligeiramente melhor do que o grupo que leu no meio digital.

Para Mangen, isso ocorre porque, no papel, “você tem uma noção tátil de progresso, além da visual”.

Cadastre-se e receba dicas e materiais toda semana

Obrigado por realizar sua inscrição, acesse seu e-mail e confirme sua cadastro.

O problema da tela

Também deve-se considerar o cansaço visual que a tela luminosa provoca. Uma pesquisa realizada em 2005 por Erik Wästlund, da Universidade de Karlstad, na Suécia, concluiu que a leitura em meio digital demanda mais energia, aumentando o nível de estresse e cansaço, o que influencia no aprendizado.

Tecnologias como a e-ink, disponível em dispositivos como o Kindle, conseguem simular a sensação de ler um livro no papel, reduzindo esse efeito.

O posicionamento do leitor

Outro estudo de 2005, da Universidade de São José, Califórnia, mencionado por Jabr, sugere que existem diferenças na forma como o leitor se posiciona perante o texto. Segundo Ziming Liu, coordenador da pesquisa, o leitor tende a não levar muito a sério a leitura no meio digital, enquanto no papel a leitura é mais focada.

No entanto, os resultados desses estudos não são, necessariamente, conclusivos. Segundo Jabr, pesquisas realizadas no começo da década de 1990 indicaram uma diferença no nível de compreensão de texto entre digital e papel muito maior do que a diferença apresentada nas pesquisas mais recentes. Ou seja, o leitor está cada vez mais se acostumando com o meio digital. Tudo depende da forma como ele aborda o texto.

Como manter o foco seja no Livro ou tablet

Como vimos, a forma como você se posiciona diante do texto, independentemente do meio no qual ele se apresenta, tem papel fundamental em como sua mente apreende as informações. Ou seja, o importante é ter foco durante a leitura.

Então, acompanhe as nossas quatro dicas para manter o foco, seja no papel ou no meio digital!

1. Seja no livro ou tablet, estabeleça metas

Um dos motivos causadores de dispersão é a ausência de metas específicas. Quando você se depara com um livro de 600 páginas — como é o caso de muitos romances, por exemplo —, achar que não conseguirá vencê-lo no tempo que você tem disponível para a leitura já é um desestímulo.

Por isso, o ideal é estabelecer metas mais singelas e alcançáveis. Determinar um número de páginas diário é um bom começo. Conforme você vai se acostumando, pode aumentar gradativamente a meta.

2. Evite distrações e interrupções

Coloque o celular no silencioso e esqueça que ele existe. Se for ler no tablet, desligue as notificações dos aplicativos de bate-papo e e-mail. As constantes interrupções causadas pelos avisos de mensagens novas são nocivas ao seu foco.

Além disso, é comum que a ansiedade para responder aos chamados atrapalhe a concentração. Seus amigos não vão se importar se você demorar um pouco para retornar uma mensagem. Eles sabem que é por uma boa causa!

Rádio, televisão e músicas cuja letra você conhece também estão proibidos. Se não puder ficar no silêncio total, use fones e ouça música instrumental tranquila. Isso vai criar uma atmosfera impenetrável ao seu redor.

3. Crie o hábito de ler no Livro ou tablet

A leitura está para o nosso foco assim como a corrida está para os nossos músculos. É necessário manter uma rotina constante para construir o hábito e adquirir resistência. Se você começa a ler um livro e, em menos de cinco minutos, começa a sentir sono, isso pode significar que os músculos do seu foco estão flácidos.

Assim, tanto no livro ou tablete, evite ler em horários muito discrepantes e não fique longos períodos sem pegar nos livros.

Uma boa dica é estabelecer um ritual que informe ao cérebro que é hora de se concentrar: ao se preparar para ler, faça sempre as mesmas coisas. Pode ser servir uma xícara de chá e acender um incenso, ou então tirar os sapatos e se acomodar na poltrona. O importante é desenvolver o seu ritual de leitura particular.

4. Elabore resumos

Outra fonte de distração é a sensação de que não estamos entendendo nada. É frustrante e desestimulante! Se é assim que você se sente, saiba que essa sensação não significa que falta alguma capacidade especial em você, mas sim que você precisa em alguns momentos fazer pausas para fixar na memória o que você aprendeu.

Para ajudar a resolver o problema e estimular a sua leitura, uma boa dica é elaborar resumos. Se um parágrafo está difícil, se você já leu o mesmo trecho mais de três vezes e nada, puxe um bloquinho e uma caneta e tente resumi-lo em uma frase. (Se você dominar técnicas de memorização de textos, poderá fazer isso mentalmente).

Se um enredo estiver complexo demais, esquematize-o com suas próprias palavras. Conforme o grau de compreensão do texto aumenta, seu foco é estimulado, e prosseguir com a leitura fica mais fácil.

Livro ou tablet, cada um tem suas vantagens e desvantagens, eu defendo que se faça um teste. Nada melhor do que experimentar as duas formas antes de eleger a melhor forma de absorver informações. O importante é manter sempre o hábito da leitura. Manter o foco e encarar a leitura como algo importante para atingir seus objetivos é o verdadeiro segredo.

Gostou das dicas? Como você prefere ler no Livro ou tablet? Deixe seu comentário aqui abaixo. Para se aprofundar ainda mais no assunto, aproveite para conhecer o meu curso de leitura dinâmica – Fast Read.

No treinamento eu ensino de maneira simples e objetiva, todas as estratégias que você precisará para ler facilmente até 50 livros por ano. 

» Clique Aqui e assista alguns depoimentos de alunos «

Para que você adquira agora mesmo o curso Fast Read, saiba que além dos bônus você também tem direito a garantia incondicional de satisfação:

Se em 7 dias depois de aplicar o método, você  não notar melhoras, eu assumo total responsabilidade e devolverei 100% do seu investimento. O que você acha? Clique aqui e saiba mais sobre o treinamento!

Renato Alves é escritor, pesquisador e primeiro brasileiro a receber o título oficial de melhor memória do Brasil. Autor de um método patenteado de memorização que ganhou reconhecimento nacional e já está presente em mais de 100 países.

Quer ter acesso a outras informações? Curta e siga a minha fanpage no Facebook e também inscreva-se no meu canal no Youtube.

Curso Fast Read

4 Comentários


  1. Muito bom, eu prefiro ler meus livros impressos mesmo no papel, eu vejo que fico mais focada e memorizo muito mais coisas, já virtual me distrai facilmente. Mas isso depende de pessoa para pessoa é só cada um ver o que realmente fica melhor. Amei esse site estou precisando mesmo aprender técnicas de memorização

    Responder

  2. Oi, goste!
    Gostaria de saber se há algum pacote contendo Curso de Memorização e Leitura dinâmica?

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *