Efeitos negativos da Ritalina

Atualmente, é cada vez mais comum ver pessoas tomando remédios na busca de maior concentração, foco e memória. Decerto, um dos mais procurados e utilizados, é a ritalina, remédio utilizado no tratamento de Déficit de Atenção.

O problema disso é que a maioria dos dependentes da ritalina, a tomam sem uma indicação médica correta. Portanto, seus “médicos” são colegas de sala que indicaram o remédio, ou o famigerado Doutor Google. Ou seja, após lerem um texto na internet, as pessoas já se auto diagnosticam com o déficit e passam a tomar o medicamento.

Porém, a verdade é que raramente encontramos um portador de TDAH, pois apenas 2% das crianças nascem com o problema. Portanto, o problema dos outros 98% não é o déficit, e sim a falta de disciplina, foco, organização e no caso dos estudantes, estratégias de estudo.

Recorrer a automedicação para corrigir um déficit inexistente, pode trazer sérios problemas para a mente. É provável inclusive que futuramente, a pessoa chegue a desenvolver doenças sérias, como o Alzheimer.

Além disso, ao tomar um medicamento sem prescrição, você pode induzir um vício gravíssimo na substância. Sendo assim, ansiedade, estresse e taquicardia são coisas comuns de se sentir, caso crie uma dependência e acabe ficando sem.

Nesse contexto, um estudante que busca a ritalina como forma de aumentar suas capacidades cognitivas, pode acabar indo a um caminho oposto a este e enfrentando sérios problemas. Por isso, se atentar aos riscos é necessário para evitar transtornos futuros.

problemas-causados-pela-ritalina

Ritalina: Melhorar sem se medicar

Como já foi dito, ao ingerir a ritalina sem uma prescrição, você pode acabar desenvolvendo um vício. Só para ilustrar, o nível de dependência que se pode criar, pode ser comparado ao mesmo que da cocaína. Mas claro, isso em casos mais elevados.

Um exemplo disso, é do advogado Fernando Martins, de 25 anos. Em resumo, o mesmo começou a tomar a ritalina na busca de produtividade, mesmo sem ter sido diagnosticado com déficit. Dessa forma, desenvolveu um vício e com o tempo, passou a ingerir o medicamento duas vezes ao dia. Por consequência, ficava agitado e necessita tomar outros medicamentos para acalmar. Além disso, desenvolveu insônia e um aumento da sua pressão arterial. (Dados do jornal Estadão)

É claro que você deve estar se perguntando:

Mas se a ritalina traz tantos problemas, por que as pessoas ainda a utilizam?

Bom, a competitividade no mundo atual é cada vez maior, e garantir uma boa colocação é essencial. Dessa forma, muitos estudantes e concurseiros botam o seu bem-estar em segundo plano e focam em alcançar o que desejam. Contudo, existem maneiras de se fazer isso sem se prejudicar, e de uma forma bem mais simples do que imagina.  

Incrementando algumas coisas em sua rotina de estudo, é possível mudar completamente a sua situação atual. É provável inclusive, que dependendo da forma como utilizar uma das coisas que serão ditas aqui, seu efeito seja muito melhor do que o obtido com o uso da ritalina. Portanto, esteja atento, existem formas de superar os problemas de estudo sem se prejudicar!

Dicas rápidas: Se capacitando sem medicação

Nossa capacidade de concentração e memorização é influenciada por diversos fatores do nosso corpo. Nesse sentido, aquilo que comemos, tem ligação totalmente direta com nossas capacidades mentais, ou seja, nossa concentração e memorização. Em síntese, possuir uma alimentação correta, causará em sua mente os mesmos efeitos que a ritalina, porém de forma saudável.

Seguir uma dieta rica em alguns alimentos ricos em proteínas e fibras, fará com que seus neurônios sejam enriquecidos com minerais poderosos, e deixem de ser sugestivos a ter problemas futuros. Dessa forma, alimentos como peixe, frango, abacate, banana e chocolate, tornarão sua mente muito mais poderosa. Portanto, comece a incrementar tais comidas em seu cardápio, em pouco tempo você notará uma evolução incrível.

Além disso, outra coisa que pode atrapalhar muito o seu rendimento com os estudos, é o sono. Em síntese, nem todos conseguem conciliar bem o seu tempo e acaba sobrando algo para ser feito em um período não favorável. Desse modo, o cansaço junto de outros fatores, irá provocar sonolência, que resultará em desatenção e uma baixa capacidade de compreensão e memorização.

Entretanto, superar esse problema e seu derivados é fácil, e pode começar a ser feito hoje mesmo. Em suma, através de algumas mudanças você conseguirá superar esse contratempo e estará pronto para ter ótimos resultado. Visto que a abordagem do assunto é um pouco extensa, recomendo que leia este artigo sobre sono na leitura. Sem dúvida você irá encontrar um material completo a respeito desse mal.

Por fim, dê uma olhada no vídeo abaixo a respeito da preguiça. Dê fato, muitos estudantes acabam não obtendo o resultado esperado por preguiça de ir atrás. Por isso, o vídeo se faz essencial para que mude sua visão, caso tenha uma parecida.

Você é capaz!

Vimos que a ritalina pode trazer sérios problemas para você, ao invés de soluções. Por esse motivo, espero que caso tome o remédio, ou esteja pensando em tomar, mude completamente sua visão a respeito. Inegavelmente, todos têm capacidade de conseguir ótimos resultado, sem precisar se medicar para tal coisa.

Aplicando as técnicas que passei, incrementadas a um método eficiente de estudo, a ritalina não passará de uma lembrança. Mesmo que você não se ache capaz, pode ter certeza, você consegue, e o melhor, sem necessidade de medicação.

Ah, uma coisa, dê uma olhada neste artigo a respeito da concentração na leitura. Talvez uma das dicas ali passadas possa ser o ingrediente que faltava para seu sucesso.

Caso tenha ficado alguma dúvida, deixe nos comentários, prometo ler e responder todos eles.

Viva bem. Lembre bem.

Renato Alves.

quantidade vs qualidade de estudo

7 Comentários


  1. Olá boa noite , fui diagnostica com déficit de atenção , não faz nem uma mês que comecei a tomar o Ritalina , e percebi que toda vez que vou tomar o remédio depois de 01:00 Meu coração ele fica um pouco acelerado é normal isso ?

    Responder

    1. Olá Aline. Recomendo que procure um médico ou especialista nesta área, para que possa ter um diagnóstico preciso sobre o que pode estar acontecendo 🙂

      Responder

  2. Ainda não vi o documentário, mas achei interessante a temática. Acredito que o sistema se auto-alimenta: por um lado, as indústrias precisam vender suas novas drogas; por outro, há uma multidão de gente ansiosa por apenas remediar (as vezes pseudo-) consequências de seus problemas psicológicos. Mesmo com as regulamentações sobre as receitas médicas, vejo muita farmácia de bairro vendendo qualquer coisa sem receita. Praticamente um shopping center para hipocondríacos. Então eu não culparia tanto as indústrias. Afinal, elas só estão dando as bananas de diferentes cores e sabores que os macacos estão procurando, mas enfim, assistirei o documentário. Obrigado pela dica.

    Responder

    1. Olá, Mynar.
      Obrigado, realmente a questão da automedicação somada a venda sem controle de medicamentos é um problema muito grave, e deve ser combatido.
      Abraço

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *