Seu filho não gosta de estudar? Não pergunte se ele estudou nunca mais

Se você é pai ou mãe e leu o meu texto sobre a Nomofobia e conhecimento talvez tenha se perguntado: Se esse problema afeta milhões de pessoas no mundo, isso também me afeta? Meu filho não está indo bem na escola, será que ele também é refém de dispositivos digitais como celular e tablet? Primeiramente, para ajudar o seu filho, não pergunte se ele estudou. Continue lendo o texto.

O desafio dos pais aumenta a cada conexão dos filhos com a internet

Como expliquei no meu texto sobre a Nomofobia e conhecimento, a dependência excessiva de dispositivos digitais como celular e tablet, vem causando nas pessoas uma série de prejuízos psicológicos, sociais e até físicos e consecutivamente isso impacta negativamente nos estudos.

Se a juventude hoje faz dos dispositivos tecnológicos quase que partes de seus corpos, o que as próximas gerações irão adotar?

É espantoso o ritmo acelerado com o qual as inovações aparecem e como ocorrem essas adaptações é quase assombroso, pois estamos falando de mudanças bruscas no comportamento humano, mas parece que estamos imersos nesse ambiente hi-tech que mais se parece com os bastidores de uma superprodução de Steven Spielberg.

Fato é que atualmente muitos pais acabam permitindo que seus filhos tenham contato com os gadgets tecnológicos muito cedo, algo que sem moderação pode gerar resultados frustrantes ao longo do tempo.

Cadastre-se e receba dicas e materiais toda semana

Obrigado por realizar sua inscrição, acesse seu e-mail e confirme sua cadastro.

Não é difícil você estar em um local público por exemplo e observar um casal com seu filho de 5 ou 6 anos vidrado na tela do smartphone jogando qualquer coisa, sem ter a mínima noção de onde está e zero de percepção de tudo ao seu redor. Pior, sem nenhuma interação também com os pais. Triste, mas uma cena cada vez mais comum, não é?

Nesse momento é que devemos parar para observar o comportamento que nós pais, referências para nossos filhos, estamos tendo perante o desenvolvimento dessas crianças.

Isso mostra que é necessário frear certas situações e ir em busca de novas alternativas de criação e evolução de um comportamento mais adequado para com a educação dos futuros engenheiros, médicos, psicólogos, matemáticos, etc.

A fase mais importante para se desenvolver uma mente mais proativa e curiosa, atualmente está condicionada ao uso da inteligência artificial que simplesmente anestesiam a etapa mais gostosa da vida.

O desafio dos pais aumenta a cada conexão dos filhos com a internet

Não estou defendendo a erradicação de tais dispositivos, muito pelo contrário. Eles já fazem parte de quase todas as etapas da vida de um jovem atualmente, incluindo a etapa da educação. O problema é o medo de ficar sem celular e tratá-lo como um órgão do corpo.

Logo, o problema está realmente no uso exagerado e o quanto isso pode prejudicar os nossos filhos na escola e consecutivamente depois na faculdade e até profissionalmente.

Como despertar nos filhos o interesse e a motivação nos estudos?

Tenha consciência de que nem todos os professores são despreparados e nem todas as escolas estão em ruínas, mas infelizmente a falta de bons educadores, de um  ambiente adequado e a falta de capacitação do aluno para aprender independente do professor ou da escola são razões suficientes para dificultar as coisas.

  1. Separar um tempo para estudar não quer dizer efetivamente ter estudado;
  2. Um aprendizado consistente vai além de decorar um texto para a prova;
  3. Aprendizado está intimamente ligado a concentração e foco;
  4. É possível lidar com grandes quantidades de matérias com um plano apropriado;

Nesse sentido, desenvolvi um trabalho destinado exclusivamente a essa questão de como os pais devem estimular e oferecer as condições ideais para que a criança desenvolva o interesse e saiba estudar corretamente, usando a memória com inteligência e assim ganhar produtividade no aprendizado. O método MemoKids, fornece ferramentas de fácil aplicação para que você ajude o seu filho a vencer nos estudos.

Não pergunte se ele estudou, pergunte se ele sabe estudar

Existe uma relação entre NÃO GOSTAR de estudar e NÃO SABER estudar. Ao dizer que não gosta de estudar, o seu filho está na realidade assumindo que não sabe como estudar. Frases como “Eu não gosto de matemática!”, “Odeio Física!” ou “Detesto meu professor!” são pedidos de socorro, de quem sequer sabe por onde começar.

Com o método MemoKids, qualquer pai, mãe, aluno ou professor conseguirá aproveitar ao máximo suas capacidades e fazer dos estudos algo realmente válido.

Com ele você vai aprender a potencializar estratégias naturais de aprendizagem do seu filho, ensiná-lo a utilizar a memória com inteligência, melhorar a motivação, encurtar o caminho para as boas notas e ter sucesso nos estudos.

Você gostou dessa possibilidade? Não esqueça de deixar seu comentário aqui abaixo e aproveite para conhecer mais a respeito do método MemoKids. Você não irá se arrepender!

Quer ter acesso a mais dicas? Curta e siga a minha fanpage no Facebook e inscreva-se no meu canal no Youtube.

Renato Alves é escritor, pesquisador e primeiro brasileiro a receber o título oficial de melhor memória do Brasil. Autor de um método patenteado de memorização que ganhou reconhecimento nacional e já está presente em mais de 100 países.

Banner não pergunte se ele estudou

6 Comentários


  1. Renato vc adivinhou os meus comportamentos ao falar com os meus filhos, fazia a pergunta errada, agora com suas dicas vou melhorar muito a forma de como aborda-los.
    Obrigado.

    Responder

  2. Olá Renato.
    Seu interesse em ensinar a gente e os netos estudarem deve ser maravilhoso sim. Porem este curso é como os outros com durabilidade de 6 meses? Ou a gente adquire o conteúdo para te-lo em mãos para quando não lembra de algo poder pesquisar e retomar?
    Estou muito interessada, mas gostaria de saber a resposta a minha dúvida.

    Abraço.

    Odete

    Responder

    1. Olá, Odete. Esse é um Box de treinamento em DVD.
      Vou pedir para um colaborador entrar em contato.
      Abraço

      Responder

  3. É uma reflexão muito importante nos dias atuais.
    Como pais, as vezes erramos ao exigir que os filhos façam algo que não sabem.
    Depois de ler este artigo mudarei o jeito de ensinar meu filho. Quero conhecer melhor esta ferramenta.
    Obrigado, Renato.

    Responder

    1. Olá, Vanessa. Será um ótimo investimento, quando desenvolvi esse treinamento, pensei no meu filho e nos meus sobrinhos. Investir no desenvolvimento pessoal nosso e das pessoas que agente gosta, pode proporcionar rendimentos incalculáveis a você, ao beneficiado e a sociedade.
      Abraço, sucesso! 🙂

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *