Reaprender a estudar

A angústia de fim de ano por que passa a maior parte dos alunos e vestibulandos, que se queixam de que a matéria “não entra” na cabeça, pode decorrer de uma escolha de método de estudo não tão eficaz. Talvez o melhor seja reaprender a estudar.

Uma pesquisa da Universidade Purdue, publicada no periódico Science em fins de janeiro, reabilita o papel da memorização nos processos de aprendizagem.

Reaprender a estudar?

“O aprendizado tem a ver com a recuperação de informações [tradução aproximada para o substantivo inglês ‘retrieving’]”, afirma Jeffrey Karpicke, coordenador da pesquisa e professor no Departamento de Ciências Psicológicas da instituição norte-americana. Talvez esse um indicativo de que você tenha que reaprender a estudar, não é?

No experimento, dividido em duas etapas, Karpicke e sua assistente, Janell Blunt, reuniram 200 alunos para estudarem tópicos de textos previamente escolhidos de várias áreas da ciência. Eles foram separados em dois grupos distintos, de acordo com o método de treinamento adotado.

Um deles usou como estratégia de aprendizado a elaboração de sofisticados mapas conceituais – diagramas que ilustram as relações entre as ideias no interior de um dado texto.

O outro lançou mão apenas de exercícios de memorização: após lerem os mesmos materiais oferecidos ao primeiro grupo, eles os deixavam de lado e tentavam se lembrar dos conceitos ali explicados.

Nessa primeira etapa da pesquisa, ambos retiveram aproximadamente a mesma quantidade de informação, segun­do Karpicke. O ponto de virada ocorreria uma semana mais tarde, quando os dois grupos foram submetidos a testes para avaliar o grau de conhecimento e de assimilação dos conceitos que haviam estudado.

Cadastre-se e receba dicas e materiais toda semana

Obrigado por realizar sua inscrição, acesse seu e-mail e confirme sua cadastro.

Aqueles que se serviram de exercícios de memorização como estratégia de estudo apresentaram desempenho 50% superior, em média, aos alunos que utilizaram mapas conceituais.

Karpicke ressalta que, nessa segunda fase da pesquisa, os estudantes responderam perguntas não apenas sobre conceitos específicos presentes nos textos lidos uma semana antes, mas também tiveram que realizar conexões entre conceitos e ideias que não estavam explicitamente mencionados ali. Nos dois casos, a performance do grupo que fez exercícios de memorização foi superior à do outro.

Os resultados surpreendentes inspiraram a Karpicke o nome de sua pesquisa, publicada na Science: “Retrieval practice produces more learning than elaborative studying with concept mapping” [A prática de recuperação de informações produz mais aprendizado do que os estudos elaborativos com mapas conceituais].

Ele é taxativo ao avaliar os resultados do experimento que coordenou, financiado pela Divisão de Educação na Graduação da Fundação Nacional para a Ciência, dos Estados Unidos: “A pesquisa mostra que a prática de recuperação de informações como método de estudo é crucial para o aprendizado”.

Surpresa – Cristiane Gottschalk, professora da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP), não se diz surpresa com as conclusões desse estudo. Ela lembra que estudos na área de filosofia da linguagem chegaram a conclusão parecida já nos anos 50 e 60 do século passado.

Autores como Gilbert Ryle (1900-76) e Israel Scheffler (1923) haviam demonstrado, afirma, que “a memorização de certos saberes proposicionais é condição de aprendizado dos demais. E essa memorização, se bem exercitada, é o que possibilita operar com essas informações”.

Fonte: Fapesp

E você também precisa reaprender a estudar? Não esqueça de deixar seu comentário aqui abaixo e aproveite para conhecer o meu curso Estudo e Memorização, no treinamento eu ensino tudo que você precisa para se dar bem nos estudos, diversas pessoas usaram esse treinamento para reaprender a estudar.

Com o curso você será capaz de aprender qualquer matéria que deseja, inclusive idiomas e exatas. Nas videoaulas on-line eu explicado de maneira simples e objetiva, todas as estratégias que utilizo para não esquecer de nada que aprendeu.

» Clique Aqui e assista alguns depoimentos de alunos do curso «

Para que você adquira hoje mesmo o curso Estudo e Memorização e por acreditar tanto na eficiência do meu método, além dos bônus eu ainda lhe ofereço uma garantia especial.

Se em 7 dias, depois de aplicar o método, você  não notar melhoras, eu assumo total responsabilidade e devolverei 100% do seu investimento. Dessa forma você não corre nenhum risco. O que você acha? Clique aqui e saiba mais sobre o treinamento!

Renato Alves é escritor, pesquisador e primeiro brasileiro a receber o título oficial de melhor memória do Brasil. Autor de um método patenteado de memorização que ganhou reconhecimento nacional e já está presente em mais de 100 países.

Quer ter acesso a outras informações? Curta e siga a minha fanpage no Facebook e também inscreva-se no meu canal no Youtube.

Curso Estudo e Memorização

2 Comentários


  1. Bom Dia
    recebi este texto em meu email como sugestão de leitura do professor Renato Alves. Achei brilhante, eu como professora, e nós da Educação enfrentamos todos os obstáculos que o texto descreve em relação aos alunos quando diz que não querem estudar, se sentem desmotivados por não saberem a matéria que estudaram num dia anterior, pois, já esqueceram tudo. Se os alunos desenvolverem um hábito e estratégias de estudos que os façam mais sucedidos em seus estudos, se sentirão mais motivados a estudarem , e quem sabe melhoram esse terror que está a sala se aula hoje, e essa luta travada entre aluno e professor.

    Responder

    1. Olá Renata, a realidade é essa mesmo, mas acredito que um isso irá mudar, tenho fé nisso.
      Agradeço o retorno e continue acessando todos os meus canais, separei para você alguns links onde você poderá ter acesso há alguns conteúdos:

      Blog (Textos)
      https://www.renatoalves.com.br/blog

      Vídeos:
      https://www.youtube.com/user/videosmemoria/videos

      Áudios:
      https://soundcloud.com/renato-alves-memorizacao

      Espero que goste.
      Abraço 🙂

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *